Fórum
Agenda
Participe

Unidos Venceremos!

Para imprimir, clique aqui

DOENÇA HEPÁTICA ASSOCIADA AO ÁLCOOL

O alcoolismo é um problema comum que afeta milhares de brasileiros . Os homens são mais atingidos que as mulheres. Jovens do sexo masculino com história de alcoolismo na família e dificuldade de relacionamento fazem parte da população de risco para o alcoolismo. Marcadores biológicos específicos para o risco de desenvolver o alcoolismo não foram identificados.

O ALCOOLISMO PODE CAUSAR DOENÇAS DO FÍGADO?

A maioria das pessoas que consomem álcool não sofrem danos significativos no fígado. Entretanto, o consumo crônico e/ou excessivo de álcool pode causar uma variedade de problemas hepáticos incluindo excesso de gordura no fígado (esteatose), hepatite alcoólica (inflamação), e finalmente cirrose (dano permanente ao fígado).

Aproximadamente de 15 a 20% dos alcoólatras, vão desenvolver hepatites (inflamações no fígado). Em outras palavras, quer dizer que 1 em cada 5 alcoólatras vão ter problemas de saúde graves, relacionados ao álcool. Estas pessoas poderão morrer de insuficiência hepática (fígado pára de funcionar), causado por uma hemorragia digestiva, infecção, ou insuficiência renal (rins param de funcionar). O transplante de fígado só é permitido a pacientes que se afastam do álcool por um período de vários meses.

Porquê algumas pessoas que ingerem álcool tem doenças hepáticas e outras não, ainda não está bem esclarecido. Mas alguns estudos apontam para uma predisposição genética. Algumas pessoas são geneticamente mais susceptíveis aos efeitos do álcool do que outras e não existem testes laboratoriais para se determinar quem tem esta predisposição.

Atualmente a cirrose está entre as 7 maiores causas de morte no mundo ocidental. A causa mais comum da cirrose é o alcoolismo. Ainda, o abuso de álcool aumenta o risco de pancreatite (inflamação do pâncreas), miocardiopatias (doença do músculo do coração), traumas (secundários a acidentes por embriagues) e o desenvolvimento inúmeras doenças em recém nascidos de mães alcoólatras.

QUANTO ALCOOL É NECESSÁRIO PARA CAUSAR DANOS AO FÍGADO?

A quantidade de álcool é bastante variável . Algumas pessoas são extremamente sensíveis aos efeitos do álcool enquanto outras parecem ser completamente imunes. Em regra geral quanto maior a quantidade e o tempo de consumo, maior a chance de desenvolver danos ao fígado.

Consumos diários  em torno de 20-40 gramas de álcool em mulheres e 80 gramas em homens (uma taça de vinho = 20 grs ; uma dose de destilado = 60grs; uma garrafa de cerveja = 25grs) provocam o desenvolvimento de cirrose em aproximadamente 10 anos.

(Esta é a estatística para pessoas que não sofrem de doenças do fígado. Para aqueles que já apresentam danos no fígado, recomenda-se a abstinência total)

PORQUE AS MULHERES SÃO MAIS SENSÍVEIS QUE OS HOMENS?

A mulheres são mais sensíveis aos efeitos do álcool. Vários estudos tem mostrado esta predominância porém sem determinar a causa exata. Sabe-se que as mulheres tem níveis menores de uma enzima conhecida como desidrogenase lática. Esta enzima é responsável pela "digestão" do álcool diminuindo a quantidade de álcool que chegará à corrente sangüínea. Por isso, a maioria das mulheres sentem os efeitos do álcool com menor quantidade ingerida.

QUAIS AS DOENÇAS CAUSADAS PELO EXCESSO DE ÁLCOOL?

1. ESTEATOSE HEPÁTICA (ACÚMULO DE GORDURA NO FÍGADO)

Pode ocorrer em pessoas que fazem uso constante de bebidas alcoólicas e não são obrigatoriamente alcoólatras. Existe um acúmulo de pequenas bolsas de gordura no tecido hepático levando a um aumento do volume do fígado. Exames de sangue podem identificar danos precoces ao fígado. Quando o consumo de álcool é interrompido , a esteatose hepática desaparece e o fígado se recompõe totalmente.

2. HEPATITE ALCOÓLICA

Esta é uma condição grave onde o fígado foi bastante danificado pelos efeitos do álcool. A doença é caracterizada por fraqueza, febre, perda de peso, náusea, vômitos e dor sobre a área do fígado. O fígado está inflamado causando a morte de múltiplas células hepáticas. Diferente da esteatose, a hepatite alcoólica após curada, deixa cicatrizes permanentes no fígado chamadas - fibroses. A hepatite alcoólica é uma doença que pode oferecer risco de vida e requer hospitalização. Com o tratamento adequado a hepatite alcoólica melhora, porém as cicatrizes permanecem para sempre.

3. CIRROSE HEPÁTICA

Este é o estágio final dos danos causados pelo álcool ao fígado. A cirrose é uma forma de dano permanente e irreversível ao fígado. Esta fibrose leva a uma obstrução à passagem do sangue pelo fígado impedindo o fígado de realizar funções vitais como purificação do sangue e depuração dos nutrientes absorvidos pelo intestino. O resultado final é uma falência hepática. Alguns sinais de insuficiência hepática incluem acúmulo de líquido no abdômen - ascite (barriga d’água), desnutrição, confusão mental (encefalopatia) e sangramento intestinal. Algumas destas condições podem ser contornadas por medicações, dietas e procedimentos especializados, mas o retorno à normalidade não é possível .

COMO SE SABE SE A PESSOA TEM ESTEATOSE, HEPATITE ALCOÓLICA OU CIRROSE?

A ultrassonografia muitas vezes é capaz de visualizar a presença de esteatose ou cirrose hepática. Exames de sangue  são bastante úteis para determinar se o fígado apresenta suas funções básicas comprometidas, porém a biópsia hepática é o exame mais específico para se saber o grau de comprometimento e determinar a causa da doença. A biópsia hepática é um procedimento que pode ser realizado em clínicas ou ambulatórios não sendo necessário o internamento do paciente. Realizado com anestesia local, o paciente é liberado em seguida para retorno às suas atividades habituais, recomendando-se apenas que evitem fazer qualquer esforço físico por alguns dias para que o fígado possa cicatrizar.

EXISTEM COMPLICAÇÕES ASSOCIADAS ÀS DOENÇAS HEPÁTICAS ALCOÓLICAS?

Sim, aproximadamente um terço dos pacientes com cirrose hepática têm história de infecção pelo vírus da hepatite C e cerca de 50% terão pedras na vesícula. Pacientes com cirrose tem maior chance de desenvolver diabetes, problemas nos rins, úlceras no estômago e duodeno e infecções bacterianas severas.

SE EU TENHO ALGUM GRAU DE COMPROMETIMENTO DO FÍGADO , ISTO PODE AFETAR MEU TRATAMENTO COM OUTRAS MEDICAÇÕES?

Sabe-se que uma das funções do fígado é o processamento de medicações e outros produtos químicos no seu corpo. Se você tem problemas hepáticos é de se esperar que o processamento dessas medicações se faça de maneira diferente daquelas que acontecem em pessoas sãs. Sempre que for prescrita alguma medicação, converse com seu médico a respeito do problema e sobre qualquer modificação nas dosagens, se necessário. A presença de álcool na corrente sangüínea em pacientes não cirróticos pode causar alterações no processo de funcionamento de algumas medicações. Medicações e álcool não são uma boa combinação.

QUAIS OS TRATAMENTOS DISPONÍVEIS?

De todos os tratamentos para doença alcoólica hepática, o mais importante é parar de beber. Algumas vezes o fígado apresenta uma pequena recuperação, suficiente para manter as suas funções vitais permitindo a pessoa ter uma vida normal.

Quando a cirrose evolui para seu estágio final a única solução é o transplante hepático. Somente pessoas que pararam de beber por longo prazo e estão em programas de reabilitação para alcoólicos anônimos são considerados candidatos para o transplante.

O ÁLCOOL PROVOCA HEPATITE C?

O álcool não provoca a hepatite C, porém se você é portador e não sabe, o consumo de álcool vai acelerar o processo de inflamação de seu fígado, vai ativar o vírus e consequentemente, provocar perda de suas funções importantes.

Para quê arriscar se podemos prevenir??